O que é Candidíase?

A Candidíase (também chamada de Monilíase ou ainda “sapinho”) é uma infecção fúngica causada por espécies do fungo Candida (sendo a Candida albicans a mais comum), um tipo de levedura. Nesse artigo, você vai conhecer mais sobre esse fungo causador da doença, quais pessoas ela costuma afetar, como ela é transmitida e que partes do corpo a Candidíase pode acometer. Saber o que é Candidíase é o primeiro passo para você que procura mais informações sobre a doença. Vem comigo!

Fungo Candida albicans (o principal causador da Candidíase) visto em microscopia

Fungo Candida albicans (o principal causador da Candidíase) visto em microscopia

Causas da Candidíase

Praticamente todas as infecções por fungos que afetam seres humanos se desenvolvem em dois momentos: quando nossa imunidade está baixa e/ou quando há um desequilíbrio da nossa flora bacteriana. Vamos entender isso?

Quando nosso corpo não tem capacidade de se defender contra os microorganismos, é comum ocorrerem infecções que não costumam surgir em indivíduos saudáveis. Todos nós temos resfriados, gripes ou amigdalites, por exemplo. Porém, é muito mais difícil um fungo nos atacar quando nosso sistema imune está em boas condições! Isso acontece no caso da Candidíase também.

Do mesmo modo, alguns fungos costumam nos infectar quando há desequilíbrio de nossa flora. Mesmo não causando infecções, nosso corpo está repleto de microorganismos, principalmente bactérias. Existem bactérias que são comumente encontradas na pele, na boca, no restante do trato gastrointestinal, nos órgãos genitais, no sistema urinário e assim por diante. Essas bactérias competem com outros microorganismos em busca de espaço (cada um precisa de sua “casa e comida” pra sobreviver, não é?). Quando tais bactérias e outros organismos morrem (principalmente por conta do uso de antibióticos de modo inadequado e/ou por muito tempo), sobra espaço para outros seres se desenvolverem, como é o caso dos fungos. Por isso, infecções como a Candidíase também são frequentes sob uso exagerado de antibióticos de largo espectro, que alteram a flora bacteriana do nosso corpo.

Quem a Candidíase afeta?

Agora que entendemos como a Candidíase é causada, podemos deduzir quem são os indivíduos mais acometidos por essa infecção.

É comum vermos a Candidíase nos dois extremos da vida, crianças e idosos. As crianças ainda não têm seu sistema imune totalmente desenvolvido e por isso são mais suscetíveis a infecções por fungos. Nessa fase, é comum a Candidíase Oral, o popular “sapinho“. Já os idosos estão em uma fase de queda do sistema imune, que já não funciona mais perfeitamente e, por isso, também estão mais suscetíveis à Candidíase.

Outros pacientes que podem apresentar Candidíase incluem portadores de doenças que baixam a imunidade como a AIDS e o Diabetes, pessoas em tratamento do Câncer, uso de esteróides (como os Corticoides), e pessoas sob estresse e deficiência nutritiva.

Alterações que podem mudar a flora do corpo são também importantes no caso de Candidíase Vaginal, por exemplo. Em torno de 20% das mulheres aparentemente saudáveis apresentam a Candida albicans como microorganismo da flora vaginal (ou seja, que não está causando uma infecção, nem sintomas). O uso de substâncias que alteram a flora bacteriana (composta normalmente de lactobacilos) nessa região pode levar ao aumento da reprodução da Candida e causar sintomas de Candidíase. Alguns medicamentos de uso vaginal ou distúrbios hormonais podem facilitar esse processo.

Já a Candidíase peniana é menos comum que a vaginal, e afeta com mais facilidade os indivíduos citados acima (com baixa imunidade, diabéticos ou pessoas em uso de antibióticos ou corticoides), quando estes entram em contato sexual com um(a) parceiro(a) que tenha Candida.

Locais do corpo afetados

A infecção por Candidíase pode afetar vários órgãos e áreas do corpo. Assim, podemos fazer a classificação da Candidíase de acordo com o local acometido:

  • Candidíase mucocutânea: é quando essa infecção afeta apenas mucosas, pele e unhas. Esta é uma das formas mais comuns da doença. Em pacientes muito imunodeprimidos (como na AIDS), essa situação é bastante comum e pode tornar-se crônica. Também encontramos esse tipo de Candidíase em crianças, na pele da região da face ou na área da fralda, que costuma ser um ambiente propício para o desenvolvimento do fungo.
  • Candidíase oral: é o popular “sapinho”, mais frequentemente visto em crianças. Existem ainda outras formas de Candidíase Oral além do sapinho.
  • Vulvovaginite por Candida: também chamada de infecção vaginal fúngica, é a Candidíase que afeta a região da vulva ou da vagina, na genitália feminina.
  • Candidíase peniana: já comentamos um pouco sobre essa. É um pouco mais rara que a Candidíase vulvovaginal, e pode afetar qualquer área do pênis.
  • Candidíase perianal: acontece quando o fungo Candida se instala na região próxima ao ânus, e costuma estar associada ao prurido (coceira) na região.
  • Intertrigo por Candida: o Intertrigo é a infecção das dobras de pele (axilas, região abaixo das mamas e virilhas, principalmente), e também pode ser causada por Candida.
  • Queilite angular: a Queilite é a infecção que acontece nas “dobrinhas da boca”, as chamadas comissuras labiais.
  • Paroníquia por Candida: é a Candidíase que acomete a pele próxima das unhas. Afeta principalmente pessoas que trabalham em situações onde as mãos ficam por muito tempo debaixo d’água, ou em imunodeprimidos.
  • Candidíase Iatrogênica: é a Candidíase que ocorre pelo uso excessivo de antibióticos de largo espectro que alteram a flora bacteriana comum do corpo, como já comentamos.
  • Candidíase Sistêmica: é chamada de “infecção sistêmica” uma doença cujo microorganismo causa lesões disseminadas e em vários órgãos do corpo. A Candidíase Sistêmica é vista apenas em pacientes com imunocomprometimento avançado, como na AIDS de longa data ou em tratamento inadequado.

Existem ainda várias outras formas de Candidíase, que pode afetar várias partes do corpo, mas estas são as principais e as que mais vemos na prática clínica. Em relação ao tratamento da Candidíase, é importante diferenciar em duas formas principais: a mucocutânea e a Sistêmica, cujos tratamentos são bastante diferentes e a gravidade da infecção também varia.

Esse foi nosso artigo introdutório sobre o que é a Candidíase. Continue lendo sobre Candidíase nos outros artigos:



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *